Fanfic, Fanfics estrangeiras

Insônia

celestia_by_murries-d63hwzf
Ilustração: http://murries.deviantart.com

 

Autor: Pale Horse

Tradução: Drason

SINOPSE: Com dificuldades para dormir, Celestia geralmente ocupa sua mente escrevendo. Dessa vez, ela decidiu escrever uma carta para Twilight Sparkle, e pela primeira vez, não para avisar que mais um problema estaria prestes a ocorrer em Equestria, nem de mentora para aluna,  mas de amiga para amiga.

*****

Da mesa de Sua Alteza Real
Princesa Celestia de Equestria
Sol Invicta
Governante do Reino do Sol Eterno

E outros

Quarenta e dois dias do décimo terceiro mês
O Ano de Nossa Senhora dez mil, cento e noventa e um. 10.191
Minha fiel estudante

Querida Princesa Twilight Sparkle,

É com pouca frequência que me encontro escrevendo para você. Tenho guardado todas as cartas que você me escreveu ao longo dos anos, que foram muitas. Cada pergaminho, cada carta, cada relatório, cada lição sobre amizade, desde que você era uma criança. Tenho uma sala inteira do castelo dedicada à sua conversação. Acho que terei que pedir a construção de uma nova seção dos Arquivos Reais de Canterlot, as “Asas de Twilight Sparkle”, apenas para guardar todas as suas correspondências. Seria apropriado, você sabe; agora que você é uma princesa, suas cartas são tecnicamente documentos do governo, e devem ser preservados para o bem da posteridade. Isto será importante quando seus súditos começarem a construir bibliotecas em seu nome.

E acredite em mim, eles irão.

Eu realmente não sou muito de escrever cartas, não é ? Na maioria das vezes, quando você recebe uma mensagem marcada com meu selo, é um pouco mais do que problemas em um pedaço de pergaminho: um conjunto de instruções direcionando você a uma busca, ou para recuperar uma relíquia perdida, ou para salvar o dia de novo, como você e suas amigas sempre foram tão aptas a fazê-lo.

Bem, você pode parar de entrar em pânico, Twilight. Não há emergência. Canterlot não foi invadida, os cães de Tártarus não foram soltos, e a Lua não está prestes a colidir com Equestria… pelo menos ainda não.

A verdade é que, apenas não consigo dormir.

Você pode se surpreender ao ler isso. Quando você começou seus estudos comigo, eu devo ter aparecido para você como uma fonte ilimitada de energia, incansável e infatigável. É uma imagem de mim que muitos pôneis equivocados ainda têm. Posso lhe dizer por experiência própria, porém, que mesmo a resistência considerável de um alicórnio não é nada comparado com a de uma jovem pônei, seus olhos brilhando de admiração, e sua mente repleta de perguntas para serem respondidas. Na realidade, eu tenho medo, é muito mais mundano: sou um sono leve por natureza, e quando o descanso me escapa, dificilmente pego no sono. Eu passei mais de uma hora me debatendo por cima dos meus travesseiros, até me cansar de ficar olhando para o teto dos meus aposentos. Aliás, eu deveria ter redecorado.

Para uma monarca, uma postura de vigília pode ser vantajosa, em certos casos. Em muitas ocasiões, fui despertada por algum tipo de emergência, ou consegui impedir alguma, pela sorte de estar acordada no momento. Você deve se lembrar, do seus estudos, o Grande Incêndio de Canterlot de 9.473, e como estou dizendo, com a ajuda da minha “visão sublime”, para rapidamente ter extinguido as chamas antes que se espalhassem pela cidade. Eu lhe asseguro, a prevenção ou previsão não tinham nada a ver com isso. Um alicórnio tem muitos dons, mas mesmo eu não posso prever o futuro. Simplesmente tive problemas para dormir naquela noite, tanto quanto esta, e caminhei até a minha varanda para respirar um ar fresco. De lá, pude facilmente ver a fumaça e chamas se erguendo do centro da cidade, e agi para removê-los.

“Cidade.” Canterlot parecia muito menor naquela época.

Enquanto eu desejaria que você nunca se deparasse com tais crises inesperadas, ou assuntos para adornar a história que vem para solucioná-los, eu sei muito bem que tal desejo seria feito em vão. A vida de uma princesa, como você irá descobrir, nem sempre é fácil. Em vez disso, eu somente espero que você nunca tenha seu sono perturbado por nada mais preocupante do que uma carta recebida de uma amiga com insônia na calada da noite.

Claro, assumindo que você está dormindo de qualquer forma; Spike tem escrito para mim em meio ao seu hábito de ficar acordado à noite, apenas para adormecer com o focinho enterrado em algum livro grosso. Ele se preocupa com você, assim como eu. No risco de soar como uma velha pônei, eu te lembrarei que princesas precisam descansar tanto quanto crianças.

E, para que você não pense que eu esqueci, olá para você também, Spike. Espero que essa carta não tenha perturbado seu sono também. Como eu, você sempre foi um pouco de um sono agitado.

Meu médico me disse que insônia é um problema comum, muitas vezes causada por stress. Ele prescreveu um pouco de leite quente e folhas de chá antes de ir para a cama. Enquanto eu dificilmente me considero estressada, a menos, claro, que você teria algum conselho sobre uma área de atuação específica, eu devo admitir que o ônus da regra pode às vezes ser difícil de suportar, especialmente sozinha.

Não se confunda com meu pensamento, Twilight. Estou imensamente grata de saber que eu posso confiar em você e Cadence em momentos de necessidade, e sinceramente aprecio sua ajuda. Mas depois de um milênio de autoconfiança, cresci acostumada a fazer as coisas por conta própria.

Há muito tempo, na época da minha juventude, Luna e eu nunca nos preocupávamos sobre tais coisas. Não nos importávamos. O mundo todo era nosso playground, todo dia uma aventura, e toda noite grandiosa. Como você deve saber, uma das muitas habilidades especiais da minha irmã é a capacidade de entrar nos sonhos. Ela podia moldar e orientá-los com toda a perícia de um cozinheiro fazendo deliciosos bolos, e a época que passávamos juntas era tão doce.

Mmmm… bolo. Me pergunto se a cozinha do castelo ainda está aberta nessa hora.

Nossas noites foram preenchidas com voos de fantasia limitada apenas pelo poder de nossas próprias imaginações… e para duas crianças como nós, eram imaginações e tanta! Nossos sonhos eram entusiasmados além da descrição, transbordando com as poucas indulgências que nós negávamos de nós mesmas em nossas horas acordadas, e nossas decepções ao acordar era igualada apenas pela nossa alegria em sermos capazes de compartilhá-la mais um dia juntas. Tal como é o inocente hedonismo de criança. Desde então eu conheci a pura e simples felicidade.

Não sei o que aconteceu, Twilight. Não sei como tudo aconteceu tão terrivelmente errado. Eu perguntava a mim mesma toda noite, por séculos, e a resposta não chegava até mim. Se algum pônei sabia, que pensou que Celestia, a onisciente, se jogaria para baixo de seus cascos, e implorar a eles para me dizer o que eu poderia ter feito.

Antes de ser forçada a banir Luna, eu nunca sabia o que era um pesadelo. Eles não existiam. Alguns pensamentos obscuros que se atreveram a invadir nossos sonhos se encontrariam instantaneamente atingidos pelo brilho da nossa luz compartilhada. Mesmo nos raros casos quando ficava confinada na cama doente, minha irmã estaria ao meu lado como sentinela, e dentro da minha mente, protegendo meus sonhos contra o mau como se eles, ou eu, fossemos algum tesouro precioso. Ela cuidava de mim, assim como eu dela. Não havia nada que uma não fazia pela outra.

E então eu a mandei embora.

Com a ausência de Luna, também se foi sua proteção. O descanso não iria mais me encontrar, e quando o fazia, era breve e intermitente. Mais de uma vez, eu acordava gritando e me debatendo em meus aposentos, e ainda assustando a guarda real. Meu coração disparava, e meus lençóis ficavam encharcados de suor. Mesmo agora, muitos anos depois, meu pulso ainda salta quando lembro dos horrores que via de olhos fechados.

Eu não irei detalhar meus pesadelos para você. Não vou deixar em sua mente os mesmos terrores que continuam me assombrando. É suficiente afirmar que eles me assustaram, e que eles poderiam fazer a mesma coisa com você.

Desde que eu não esperava dormir como aconteceu, comecei a procurar formas de evita-lo. Às vezes, eu simplesmente não durmo absolutamente nada, por dias, até semanas. Percebi que isso soava agradável, e de fato, pode ser cansativo, mas como eu disse, alicórnios têm resistência considerável.

Aliás, isso não é permissão para você atravessar a noite estudando. Spike vai me avisar se você tentar.

Em muitas noites, eu vagaria pelos corredores do castelo, sem rumo, olhando para pinturas, esculturas, e antigos trajes de armadura que eu tinha passado por uma centena de vezes, mas nunca ter tido tempo para verdadeiramente admirá-los. Desta forma, fiquei muito familiarizada com os assistentes do castelo. Eu regularmente checaria com os guardas enquanto eles faziam suas rondas, e também pararia para conversar com os cozinheiros, e domésticas, e qualquer pônei que aconteceu de eu encontrar ao longo do caminho.

A maioria estava surpresa em me ver, eu acho, ninguém esperava me ver caminhando por aí no meio da noite. Mas preferia que fosse assim. Sempre tentei ser uma governante acessível, e não importava a ideia do soberano solitário, alto e poderoso, trancado em seu quarto, tão frio e distante daqueles cuja segurança é responsável. Nunca gostei de ser colocada no pedestal. Eu nem mesmo teria usado uma coroa, se não tivesse sido dada a mim.

Mas esse é o conto para uma outra carta.

Quando eu não tinha vontade de rondar pela castelo, me sentava na varanda, e olhava Canterlot. Ela não foi sempre a grande e movimentada capital onde você cresceu. Era muito diferente naquela época, especialmente à noite. Pôneis ainda usavam tochas, e velas eram ainda mais comuns; as luzes piscando nas janelas brilhavam no escuro como vagalumes, ou como estrelas no céu noturno.

As estrelas. Eu olhava para elas também, de vez em quando. E para a Lua, quando eu conseguia coragem.

E às vezes, apenas ficava no meu quarto, sozinha, chorando.

Durante a ausência de Luna, tinha o hábito de escrever cartas para ela. Nunca enviei, é claro; ela não os leria, e mesmo que o fizesse, eu não daria àquela coisa que tirou ela de mim outra maneira de atormentá-la. Mas eu escrevia de qualquer maneira. Gostaria de contar a ela sobre meus dias: o que eu tinha feito, o que eu vi, sobre o que conversei. De certa forma, sentia como se a tivesse de volta em casa.

Eu ainda tenho as cartas, trancadas no cofre do castelo. Penso em mostrar a ela de vez em quando, mas não acho que esteja pronta pra isso. Ainda não.

É por isso que estou escrevendo agora. Espero que você não se importe; é um antigo hábito no final das contas, e um dos que mais me dá consolo.

Eu poderia dizer a Luna que estou tendo problemas para dormir, mas realmente não quero que ela saiba. Ela ainda está recuperando suas forças depois de um longo período de férias, e não quero vê-la preocupada. Como você sabe, ela tem tido dificuldade para se adaptar à vida moderna, e acho que já é bastante preocupação para ela. Não quero ela achando que minha insônia é direta ou indiretamente culpa dela. Não é; de fato, pois não tive um único pesadelo depois que ela voltou. É apenas mais um velho hábito, apenas temo que este pode ser um pouco mais difícil de superar.

Presumo que poderia continuar escrevendo em nosso diário, mas simplesmente não era a mesma coisa sem ela. Nossos registros no diário, como nós, complementavam-se um com o outro como duas metades de um todo maior. Poderíamos escrever mensagens secretas para cada uma, apontar os erros de escrita da outra, ou deixar rabiscos nas margens. Era mais um grande jogo para ser apreciado entre nós, mais uma forma de se divertir, mas sem um companheiro não era mais divertido. Então, quando ela se foi, deixei o diário para trás, no nosso antigo castelo, exatamente onde você encontrou. Além do mais, escrever em um diário sempre fazia eu me sentir como se estivesse escrevendo para mim mesma.

Não, isso não significa que você e suas amigas devem parar de fazer o mesmo.

Eu ficava conversando com meus alunos agora e depois. Às vezes eles viriam me visitar, ou discutir um problema que estavam enfrentando. Às vezes eles estariam muito longe, por décadas, mesmo por séculos passados. Às vezes eu iria falar com Luna também. Sempre estive com tanta raiva de mim mesma sobre o que fiz e o que aconteceu entre nós, mas ela nunca sentiu o mesmo de mim. Ela estava sempre sorrindo, e cuidaria de mim enquanto estava dormindo, como nos velhos tempos.

Eu ainda falo com eles, ocasionalmente. O médico disse que é perfeitamente natural, mesmo saudável. Não tenho certeza se acredito nisso, mas me ajuda, assim como as cartas. Tive uma longa conversa com Clover na noite passada. Ela sempre sabia como me fazer rir.

Sinto muita falta dela. Poderia usar sua sabedoria agora. Às vezes eu realmente sinto como uma velha pônei. Velha e cinza.

Perdi muitos estudantes, Twilight. Muitos amigos. Me traz um enorme conforto saber que não vou perder você também. Você significa muito para mim, assim como Spike. Os encargos da eternidade não serão fáceis para nenhum de vocês suportarem. O tempo é um inimigo implacável, que você irá enfrentar muitas vezes como eu fiz durante todo o meu reinado. Mas você não o fará sozinha.

E pela primeira vez depois de um longo tempo, nem eu.

Sei que você está preocupada com suas amigas, e sobre o que poderá acontecer com elas, mas gostaria de lhe fazer uma pergunta.

Acredita em milagres, Twilight?

Eu acredito. Desde que você chegou em Ponyville, tem feito maravilhas para que Equestria não suportasse testemunhar mais do que mil anos.

Dircórdia, reformado em uma força para o bem. King Sombra derrotado, e o Império de Cristal restaurado em sua antiga glória. A coroação de uma nova princesa no reino. Os Elementos da Harmonia não apenas retornaram, mas a Árvore da Harmonia reviveu e prosperou.

Luna… minha Luna.

Milagres acontecem, Twilight. Você está vivendo as evidências. Quando te levei sob minhas asas pela primeira vez, eu teria considerado qualquer um desses feitos impossíveis de serem realizados. E você os realizou em poucos anos. Contemplando tais maravilhas como estas me faz sentir jovem novamente, jovem como quando as estrelas eram novas. Posso apenas esperar, maravilhada, para ver o que você fará em seguida.

Como disse, não posso prever o futuro. Não tenho dúvidas que muitos desafios ainda estão por vir, para todos nós. Mas tenho a sensação que independentemente disso, Equestria estará em bons cascos.

Eu nunca te agradeci, não é? Por trazer minha Luna de volta.

Obrigada. Obrigada. Obrigada, obrigada, obrigada, obrigada.

A noite que perdi minha irmã foi muito dolorosa para mim. O dia que você a trouxe de volta foi o mais feliz da minha vida. Palavras não podem expressar minha gratidão. Tenho governado Equestria por milênios, mas estarei em débito com você pelos restos das eras.

Existe algo que possa fazer por você? Qualquer coisa? Se você já não fosse uma princesa, ficaria feliz em lhe dar uma coroa. Gostaria de ter seu próprio feriado, ou algo assim? Sabe que posso fazer isso, sou uma Princesa! E quanto às suas amigas? Será que elas gostariam de se tornarem duquesas? Talvez um barão para Spike? Se ele for manter um tesouro de dragão algum dia, então pode ser uma boa ideia ele ter o seu próprio território.

Você pode me escrever uma resposta quando ela não estiver olhando, Spike.

Eu não sei porque me prolongar nessas coisas. O médico disse que muitos pôneis o fazem, quando se encontram acordados durante a noite. Suponho que dez mil anos é tempo mais do que suficiente para alguns sentimentos.

Eu posso sentir Luna começando a entrelaçar um de seus feitiços de dormir. Parece que mesmo depois de toda essa época, ela ainda cuida de mim. Eu nem mesmo disse tudo o que gostaria de dizer, mas está muito tarde. Gostaria de falar com ela. Dizer a ela sobre minhas cartas. Dizer a ela o quanto senti falta dela. Dizer que sinto muito.

Mas não esta noite. Hoje eu vou dormir. E, se eu estiver com sorte, talvez sonhar.

Obrigada, Twilight. Obrigada por tudo. Obrigada por minha irmã. E acima de tudo, obrigada por ser minha amiga.

E lembre-se sempre: amizade é mágica.

Sua professora

Sua mentora

Cordialmente,

Princesa Celestia de Equestria