Colunas

Fluttershy explica: Por que ser vegano?

fluttershy-vegan
Ilustração: http://killryde.deviantart.com

Olá, vocês já me conhecem como a pegasus tímida do desenho, mas hoje vou deixar a timidez de lado e explicar pra vocês a importância do veganismo para nós e para o mundo! O vegano é um vegetariano estrito em sua dieta, seja na alimentação como em qualquer outro produto de origem animal. Em outras palavras, o vegano busca excluir, na medida do possível, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais.

Ou seja, o veganismo é um movimento que busca a libertação animal em todas as frentes possíveis, incluindo mercado, alimentação, trabalho forçado e entretenimento. Vale dizer que isso não envolve apenas os animais não humanos (que são chamados de “irracionais” pelo senso comum).

Isso significa que veganos também buscam eliminar o consumo de produtos oriundos de empresas que exploram a mão de obra análoga à escravidão. Além disso, também há movimentos (como o Food for Life) que apoiam a adoção universal do veganismo como forma de democratizar o acesso à alimentação — pois cerca da metade dos grãos produzidos no mundo são usados para a engorda de “animais de corte”.

A dieta vegetariana também exclui a carne dos peixes e de outros frutos do mar de seu cardápio, porque todos os animais possuem sistema nervoso central e senciência — a capacidade de sofrer, sentir dor ou felicidade que somente os animais têm. Por mais que eles não emitam sons fora da água, eles sentem dor ao serem pescados ou cortados ainda vivos. Ao serem retirados da água, morrem em um doloroso processo de asfixia.

Ainda, há quem diga que o leite e os ovos não são um problema, pois eles são criados sem a necessidade de matar um animal. Porém, existe uma série de explorações que a grande maioria não leva em consideração quando se fala sobre o tema. Abaixo você pode conferir alguns exemplos:

Leite

Como em toda espécie de mamífero, para que a “vaca leiteira” produza leite, é preciso que ela seja mãe. Na indústria, as vacas são emprenhadas com inseminação artificial e depois do parto têm seus filhotes levados embora — geralmente as fêmeas são encaminhadas para o mesmo processo e os machos são abatidos ainda enquanto bezerros para abastecer o mercado de vitelos.

A expectativa de vida de uma vaca é de cerca de 20 anos, mas as vacas leiteiras geralmente são abatidas com menos de 8 anos. Isso acontece porque elas começam a apresentar problemas de reprodução após várias gestações forçadas, problemas de locomoção devido a infecções ou matistes e outras inflamações.

Ovos

Galinhas botam seus ovos em um processo natural? Sim, mas isso não significa que elas não sejam exploradas. Assim que nascem, as galinhas são debicadas (têm os bicos arrancados) sem anestesia. Isso é feito para que elas não firam umas às outras ao serem submetidas a situações de muito stress — o que acontece bastante, visto que até oito animais dividem gaiolas com pouco mais de 0,2 m².

Essas galinhas podem passar a vida inteira sem ver a luz do sol, sem poder caminhar de uma maneira digna e sem poder viver do modo natural — livres e tendo suas próprias vontades respeitadas.

O que mais é deixado de lado?

Além de não comerem carne de nenhum tipo, veganos também deixam de lado derivados de qualquer produto animal — incluindo corantes criados com o esmagamento de insetos — e também não usam couro natural ou qualquer outro tipo de pele. Abaixo, você confere uma lista com diversas outras atividades que são deixadas de lado por quem é adepto do veganismo:

Circos (com animais), Zoológicos, Caça, Consumo de produtos testados em animais, Touradas, rodeios, vaquejadas e afins e exploração ou abandono de animais domésticos.

Isso não significa que a dieta de um vegano não seja tão bom quanto ao seu oposto. Geralmente, costuma-se pensar que a refeição de veganos envolva apenas saladas sem gosto e sem tempero, mas essa imagem é completamente errada. Veganos comem cereais, frutas, legumes e qualquer outro alimento que venha das plantas, além de algas e cogumelos.

E isso não quer dizer que as comidas sejam apenas cruas — muito pelo contrário. Com algumas receitas na mão, é possível fazer alimentos saborosos e totalmente saudáveis. Além disso, também há muito “Junkie Food” vegano, pois a variedade de hambúrgueres, doces e frituras que podem ser feitas é gigantesca. E mais, é possível comer tudo isso sem ingerir um único grama de soja se você não quiser.

E as proteínas?

Costuma-se pensar que carnes são a única fonte de proteína, mas isso é um grande equívoco. Todos os aminoácidos essenciais para a produção de proteínas dentro do seu corpo podem ser conseguidos por meio dos vegetais.

Alguns exemplos de proteínas vegetais: Grão de Bico, Feijão (que além de proteína também é rico em ferro), Cogumelos, Oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, etc.), Quinua (que além de ser ótima fonte de carboidratos de baixo índice glicêmico, vitaminas, minerais e gordura saudável, contém todos os aminoácidos essenciais que nosso corpo não fabrica e que vão formar as proteínas), soja e algas.

Todos os exemplos acima valem por um bife no seu prato, exceto a soja que dependendo da quantidade que você consome possui até dez vezes mais proteínas do que a carne, seja vermelha ou branca… sim, a soja é uma overdose de proteínas.

Existe apenas um nutriente que não podemos encontrar em abundância na dieta vegetariana: a vitamina B12. Ela é produzida por bactérias e cianobactérias, com as quais a humanidade tem pouco ou nenhum contato atualmente. Isso significa que uma boa parcela da população — vegetariana ou não — pode apresentar deficiência ou insuficiência de B12. Felizmente, existem diversas suplementações da vitamina.

Exemplo: leveduras, leite de soja e nori.

Nori é uma espécie de folha feita a partir de algas marinhas amplamente utilizada em pratos da culinária japonesa. É geralmente de cor esverdeada ou avermelhada dependendo da espécie de alga empregada na fabricação.  A alga Nori é rica em proteína, cálcio, ferro, vitamina A, B e C. A alga nori contém duas vezes mais proteína do que carnes.

Lembre-se que quando você consome carne, está também absorvendo o sofrimento dos animais. Em países como a China e Coreia do Sul, os animais são submetidos propositadamente ao sofrimento para produzirem adrenalina, com o fim de deixar a carne mais “saborosa”…

Como é possível nós desejarmos um mundo justo, sem guerras, sem sofrimentos, se somos capazes de banalizarmos uma vida sob a mera justificativa que é para nos alimentarmos? Como é possível que nesse caminho pratiquemos o amor pelo nosso mundo?

Você acha mesmo que não ocorre nenhum efeito em seu organismo ao absorver o sofrimento de um animal?

Nunca se esqueça disso: A escolha de consumir carne foi nossa, porque Deus nos concedeu opções de sobra para sobrevivermos sem ela.

Fonte: Megacurioso

Anúncios