Uma promessa cumprida

Granny_Smith_Apple_Bloom_hu

SINOPSE: Vovó Smith havia feito uma promessa para os pais de Applejack antes que eles partissem para uma viagem sem data definida de regresso. Numa certa noite, ela iria descobrir que essa promessa, mais do que nunca, estava cumprida.

***

No Rancho Maçã Doce, uma família de quatro pôneis dormiam sob a luz do luar, que banhava toda a fazenda com sua bela luz prateada.

Exceto por uma pequena potranca laranja, que caminhava até o quarto de sua avó, apavorada.

Após um pesadelo, Applejack não conseguia dormir sozinha em seu quarto. Já havia passado uma semana desde que ela voltou de Manehatan, ao decidir que o seu lugar era em Ponyville, junto de sua avó e irmãos. Granny Smith, a avó de todos eles, assumiu a responsabilidade de cuidar de seus netos na ausência dos pais. Embora fosse uma avó, o amor que ela tinha por Applebloom, Big Mac e Applejack não era diferente se comparado com o de uma mãe.

“Vovó? …” Applejack abria a porta, trotando lentamente para o interior do quarto, verificando se ela ainda estava acordada. Geralmente, à noite, ela costumava tricotar ou organizar o álbum após revelar novas fotos de sua família; era um de seus hobies favoritos.

Observando que ela estava dormindo, a jovem potranca se aproximava lentamente no quarto escuro, com cuidado para não fazer barulho de chiado das tábuas no chão. Ela finalmente chegava até a sua avó adormecida, se estabelecendo ao lado de sua cama, próxima do criado. A velha pônei verde roncava alto, fazendo Applejack rir baixinho.

“Vovó …” ela começava a cutucar levemente o ombro dela, tentando acordá-la. A velha pônei verde se mexia lentamente, bocejando, e finalmente se levantando enquanto olhava para Applejack com os olhos sonolentos.

“Querida?” Ela observava o relógio na parede, “Tudo bem? Por que está acordada às duas da manhã?”  Ela murmurava enquanto esfregava os olhos, tentando afugentar o sono.

“Tive um pesadelo, vovó …” dizia Applejack, tentando não chorar. Foi o suficiente para que sua avó esquecesse o sono. Ela se sentou na beira da cama, e pegou sua neta cuidadosamente, a fazendo sentar em seu colo e a acariciando com seus cascos. Applejack abraçava sua avó, em silêncio, e era o suficiente para que sua tristeza a deixasse.

“Com o que você sonhou, docinho?” ela perguntava, envolvendo seus cascos ao redor de sua neta. Applejack olhava para cima antes de limpar a garganta. “Eu sonhei que a casa estava vazia, sem você, meus irmãos, e nem os móveis. Até meu cachorrinho não estava mais na casinha dele, então eu acordei com medo e fui para o seu quarto, para ver se você ainda estava aqui… por que eu sonhei com isso vovó?” ela perguntava com algumas lágrimas aparentes, abraçando forte sua avó. “Você nunca mais me deixar, né?”

O Coração de sua avó se partia, ela sabia que a ausência dos pais de alguma forma os afetava, mas Applejack parecia ser a que mais sentia.

“Foi apenas um sonho querida, eu nunca vou te deixar, e mesmo o dia que você não precisar mais de mim, eu estarei lá por você, sempre,” ela olhava nos olhos de sua neta com um sorriso caloroso.

“Não vovó! Eu sempre vou precisar de você! Mesmo quando puder coicear as macieiras como você, mesmo quando puder fazer tortas tão gostosas como as suas, eu nunca vou te abandonar. Eu te amo vovó.” Applejack a abraçava novamente, escondendo seu rosto no peito da velha pônei verde.

Vovó Smith retribuía o abraço acariciando as costas de sua neta. Ela sempre soube que os seus três netos eram uma benção e a maior razão dela continuar vivendo. Ela sempre estaria lá pelo seus netos, assim como eles também sempre estariam lá por ela.

“Eu também te amo muito, Applejack.” Mais calma, a pônei laranja olhava nos olhos de sua avó, respirando fundo antes de falar.

“Vovó, sei que já te perguntei muitas vezes sobre meus pais, e você sempre respondeu que eles voltarão em breve, mas… se isso realmente acontecer, você promete que vai continuar morando comigo?” A pônei verde sorria, acariciando a emaranhada crina loira de sua neta, enquanto acenava. “Uma Apple nunca quebra suas promessas, tem a minha palavra.”

Sem dizer mais nada, Applejack voltava a se confortar no caloroso peito de sua avó, onde ficava por alguns minutos antes cair no sono. Ao invés de levá-la para seu quarto, Vovó Smith a aconchegava em sua cama, deitando-se ao lado enquanto cobria ambas. Ela beijava sua neta na testa, e olhava para um quadro na parede, onde estava o retrato dos pais de Applejack. Vovó Smith prometeu para sua filha, antes de partir para uma viagem sem retorno definido, que cuidaria de Applejack, Big Mac e Applebloom com o mesmo amor da mãe. E hoje, após escutar o pedido de Applejack, ela pôde dormir em paz, sabendo que sua filha, onde quer que estivesse, também poderia ficar em paz, sabendo que essa promessa estava cumprida.

“Boa noite, minha amada neta.”