Fanfics nacionais

Pôneis e suas principais frases

Créditos pelas frases:

Celestia – Augusto Cury

Luna – Rachel Prado Corrêa

Demais frases – Drason

Anúncios
Fanfic, Fanfics estrangeiras

A batalha pelo Forte Livro

Título original: The Battle of Fort Book

Autora: PinkamenaPiePrincess

Tradução: Drason

Sinopse: A imaginação de Twilight Sparkle quando criança era inacreditável, provavelmente devido ao seu hábito de ler. Mas agora ela deve defender Twilightopia de Shining Armor e suas forças com ajuda do Capitão Smartypants e Soldado Cadence! Um conto de infância de Twi narrada a partir de seu ponto de vista.

———-

Soldado Cadence parecia não ouvir as ordens dadas pelo Capitão Smartypants. Claro que isso era incomum, Cadence era uma grande soldado, mas por alguma razão eu tive que levar todas as ordens do capitão até ela.

“Soldado!” eu gritei. “Você não ouviu as ordens do Capitão Smartypants?”

Cadence riu. Eu olhei. Um soldado não deveria rir de seus superiores. Eu li isso em um livro sobre hierarquia militar. E um general é sempre o posto mais alto.

“Não, General Twilight, eu não falo sua língua.” Respondeu Cadence, eu fiquei olhando até ela se lembrar de prestar continência, que é o que se deve fazer para um general.  Ela parecia confusa por alguns minutos até se lembrar do protocolo e fazer a continência.

“Ela diiiiiisse para guardar o extremo leste do forte!” Ordenei. Eu era muito boa em dar ordens, afinal era uma general.

“Senhora, sim senhora!” Soldado Cadence respondeu com um sorriso bobo no rosto, e fez continência novamente.

“E sem sorrir! Capitão Shining Armor estará atacando o Forte Livro em poucos minutos e nós temos que estar preparadas! Ninguém do exército sorri!”

“Senhora, sim senhora!” Disse Cadence de novo, se esforçando para manter uma expressão séria.

Eu não sabia o que ela achava tão engraçado. O Forte Livro era o mais impressionante de todos em Twilightopia, a terra gloriosa que nós estávamos defendendo do terrível Imperador Shining Armor, que também era o meu grande irmão, mas isso não importa.

O Forte Livro era enorme. Tinha pelo menos cem metros de largura e mais cem de altura! Eu imaginava que ele era feito de livros, mas na verdade era formado de pedras para que os invasores não pudessem entrar. Tinha outra parede de pedra para sua proteção, e um fosso, porque fossos eram legais. Era o forte mais lindo do mundo, embora estivesse chovendo agora e ele não era tão confortável quando chovia. Quando não estava chovendo, era bastante ensolarado, com o sol fazendo as rochas brilharem como se fossem pedras preciosas.

Agora… sobre meu grande irmão.

Ele era o capitão de um vasto exército que estava vindo tomar o Forte Livro e logo toda a Twilightopia para ele! Shinning era ganancioso e era meu trabalho defender o Forte Livro contra suas forças que ficavam na terra dele perto de Twilightopia. E sempre estava tentando tomar parte do nosso país para ele, que é o que aparentemente países fazem com quem não são amigos ou aliados, mais ou menos isso que dizia em meus livros. Ele sempre tentava dominar, porque o Forte Livro era o melhor forte de todos, e por isso ele e seus aliados não conseguiam conquistá-lo.

Capitão Smartypants me deu um tapa no ombro, me tirando dos pensamentos sobre meu irmão. “General, eu acho que eles devem estar perto das colinas agora!” Meu calado capitão me avisou. “De fato, são eles mesmo, e estão vindo até nós! temos que estar cem por cento preparados!”

“Leve seus homens para defender a parede oeste, eu vou para a parede leste!” Ordenei Smartypants. Ele fez continência e não riu, porque ele é capitão e Cadence ainda um soldado.

“Todos os soldados para seus postos! Os inimigos estão vindo!”

Capitão Smartpants fez continência de novo enquanto tomava posição e começava a comandar seus homens. Eu fui onde a soldado Cadence estava e limpei minha garganta para tomar sua atenção.

“Capitão Smartpants avistou o Capitão Shinning Armor, e nós temos que estar preparadas! Carregue os canhões!” Eu ordenei a ela. Ela obedeceu, embora pensei ter visto um sorriso, que obviamente não era permitido.

“Sem sorrir!” Eu disse. Cadende fez continência e fez força de novo para não sorrir.

“Às vezes eu não sei como você saiu do campo de treinamento sorrindo!”

“Porque de qualquer forma sou uma boa soldado, senhora.” Ela respondeu.

“Todos os homens em seus postos e parem de ficar conversando seus tolos!” Tolo era um dos meus insultos favoritos. Shinning Armor já estava perto dos portões da frente.

“Eu estou aqui General Twi!” Ele disse, me desafiando. “O que vai fazer sobre isso?”

“Isso!” Eu respondi e logo em seguida gritei. “FOGO!” para Cadence, que disparou o canhão em Shinning, que errou o alvo fazendo uma curva. Outro canhão foi disparado, que atingiu alguns homens de seu exército, e eles caíam lentamente diante da incrível enxurrada de ataques do Forte Livro!

“Continue atirando, Cadence! Nós temos que acertar Shinning Armor, ele é o líder!”

“Sim General!” Ela disse.

Cadence disparou nosso último canhão, que acertou Shinning Armor.

“Nós vencemos! Nós conseguimos defender o Forte Livro!” Eu disse enquanto meu irmão caía.

“Oww, Twi!” Disse meu grande irmão mais velho, que não era realmente terrível, mas o melhor irmão do mundo. “Para um travesseiro na cara, doeu!”

Eu ri. O Forte Livro era apenas uma pilha de livros com um lençol em cima e travesseiros ao redor dela, mas ainda assim era o melhor forte de todos.

“Foi a Cadence que jogou!” Eu disse desmoronando em risos.

“Eu acho que posso sorrir agora, né?” Perguntou Cadence, a melhor babá de todas.

“Te acertei em cheia, Shinning!”

Shinning deu aquele sorriso estranho de sempre quando estava perto de Cadence. Eu não sei por que ele fazia isso, acho que era de tanta felicidade que não conseguia rir direito.

“Sim, você acertou.” Ele disse, e começou a cair na risada assim como eu e depois Cadence, e apesar de ter sido um dia chuvoso em Canterlot, não deixou de ser um dia super divertido em nossos livros. Até Smartypants riu um pouco, e geralmente ele era quieto.

Fanfic, Fanfics estrangeiras

A dádiva dos alicórnios

Titulo original: The gift of alicorns

Gênero: Normal

Autor: Keta

Tradução: Lucas T.

__________________

Parecia estar faltando alguma coisa.

Twilight Sparkle tinha certeza disso, mas…

Apenas algumas horas mais tarde depois de derrotar a Rainha dos Changelings e começar os preparativos para o casamento da princesa Cadance, alguém poderia pensar que Twilight já tinha o direito de reclamar. Tudo estava bem, Cadence era exatamente como Twilight se lembrava e todos estavam felizes. No entanto, havia o sentimento de que Twilight não o faria. Deveria haver algo que ela esqueceu. Alguns poucos detalhes que ainda não foram corrigidos.

Ela gemeu. Como desejava ter uma de suas listas de organização agora para que pudesse simplesmente ler sem a esperança de tenter se lembrar! Ela tinha dezenas de listas de verificação, o problema é que a coisa com a qual ela se proecupava não estava anotada em nenhuma delas.

“Bem, se e não me preocupei em anotá-la, provavelmente não era tão importante.” Ela tentou dizer para si mesma, mas não funcionou. A unicórnio não conseguia se livrar do pensamento tão facilmente. E ela sabia que se não lembrasse, isso iria incomodá-la durante o resto do casamento.

Enquanto observava pôneis correndo pelos arredores e consertando coisas que foram destruídas pelos changelings, seus olhos lentamente se fechavam e seus pensamentos ficavam à deriva em seus dias de infância.

Uma pequena unicórnio roxo e uma alicórnio rosa com crina de três cores estavam sentadas uma ao lado da outra na grande varanda da casa de seus pais, olhando as estrelas.  De vez em quando uma delas levantava o casco e apontava para uma constelação ou apenas uma estrela muito brilhante. Cadance estava testando os conhecimentos de Twilight sobre os nomes das estrelas, porque a pequena e amável unicórnio adorava mostrar suas habilidades.

“E qual é o nome daquela constelação?” Perguntava Cadence.

“Qual, aquela?” Twilight apontava seus cascos para uma delas. ”Aquela é Orion!” Ela riu.

Por que dentre tantos acontecimentos em Equestria ela se lembrou justamente dessa parte? Não que ela não adorasse se lembrar do tempo que passou com Cadance, mas o pensamento sobre o passado não iria resolver o seu problema atual.

Assim que ela estava prestes a desistir, algo a parou. Algo sobre esse mesmo momento que há muito tempo passou.

Elas ficaram em silêncio por um tempo, apenas admirando o céu. Então Twilight falou:

“Cadence?”

“Sim?”

“Se a Princesa Celestia tem o controle de ambos, o sol e a lua, como a marca especial dela pode ser apenas o sol? Digo…” Ela corou levemente. “Parece um pouco injusto para a lua.”

Cadence a olhou sorrindo. “Mesmo, Twilight? É sobre isso que você fica pensando quando não está dando nome para as estrelas?”

A pequena unicórnio apenas ficou em silêncio, e Cadence continuou. “Honestamente, eu não procurei saber e nunca perguntei a ela sobre como ganhou sua marca especial. Talvez seja porque ela é a governante desta terra e achei que seria um pouco desconfortável questionar a imagem no flanco da realeza, mas quer saber? Você está certa. Definitivamente deveria perguntar a ela sobre isso.”

A alicornio ao lado dela provavelmente não queria dizer isso, mas Twilight se sentia em desconforto pensando em perguntar à Princesa sobre sua marca especial. Ela nunca perguntou à sua mentora sobre isso.

E no final nem precisou. O retorno de Luna explicava tudo. Tanto quanto era confortável para ela pensar nas Princesas – Cadence incluída – a memória não a ajudou muito sobre o que estava tentando lembrar.

Pelo amor de Celestia, o que estava errado com ela? Por que era tão difícil de recordar? Por que ela sentia como se alguma coisa que Cadance tinha dito era tão importante?

Espere um segundo…

“Eu não estive tempo suficiente em Canterlot para descobrir sozinha…”

Há quanto tempo ela estava por perto?

Era isso! Twilight quase começou a pular alegremente, porque estava finalmente certa de que se lembrou. Ela se virou e foi para o castelo se encontrar com Cadance.

Quando a encontrou, experimentando o vestido novo que Rarity fez para ela, rapidamente se certificou de que não havia mais nenhum pônei por perto. Ela queria ficar sozinha com sua amiga de infância, para fazer perguntas pessoais. Twilight se sentia estranha, era estranho imaginar Cadence sendo mais velha que ela.

Apenas quando Twilight olhava para ela e via alguém muito velho do que a garota que costumava cuidar dela. Ela é adulta agora. E estava muito mais velha do que Twilight. Mas não poderia ser…

Princesa Celestia nunca envelheceu. Ela nunca mudou em nada. E tudo porque era uma alicórnio.

“Cadence?” Twilight disse em voz baixa, fazendo a pônei notar ela na primeira vez.

“Oh Twilight, não vi você aí, o que foi?”

Twilight decidiu ignorar a pergunta, só porque ela queria ter o problema resolvido. “Posso falar com você? Há uma pequena coisa me incomodando…”

Os olhos de Cadence se encheram de preocupação.  “Claro, o que é?”

“Uma vez você sendo alicórnio…” Twilight começou inquieta. “Eu estive pensando que é talvez, apenas talvez, um pouco estranho você crescer igualzinho a mim. Digo, todo pônei sabe que a Princesa Celéstia nunca muda, nunca cresce. E nós todos sabemos porque: alguns chamam de dádiva dos alicórnios, a imortalidade. A Princesa Celéstia não vai envelhecer, porque ela é uma alicórnio. Porque ela é imortal e por isso nunca vai mudar. Então, se você não se importa de eu perguntar, onde isso deixa você?”

Enquanto ela falava a expressão de Cadance parecia um pouco desanimada. Enquanto ainda ouvia as palavras da unicórnio, ela levitou seu vestido e o colocou em um dos manequins. Então ela se virou para Twilight, que agora estava esperando impacientemente pela sua resposta.

“Mortal.” Foi a sua simples resposta.

Twilight deu alguns passos na direção dela, com os olhos arregalados não acreditando. “Perdão?”

“Eu sou mortal. Eu não quero a dádiva dos alicórnios.“ Ela abaixou a cabeça se aproximando da unicórnio. “Porque eu realmente não sou um deles.”

Twilight agora estava perto o bastante para tocá-la. Ela se sentia muito estranha com isso tudo, e era algo com o qual não estava preparada. Desde o dia que ela entendeu o que a “imortalidade” significava, passou a ver Cadance como um dos imortais alicornios, que ela detestava admitir, talvez por um pouco de inveja.

“Certo, o que você está dizendo não faz sentido.” Ela questionou. “Você é uma alicórnio, tem asas e chifre, não pode simplesmente fingir que não é.”

Sua amiga sorriu levemente. “Eu não estou fingindo que não sou, Twilight. Mas como você já disse, asas e chifre não me fazem uma alicórnio. É a imortalidade, e eu não tenho isso.”

“Por que não? Como pode saber? Como pode ter certeza disso!” Twilight nunca pensou em sua própria morte, mas pensando em Cadance fazia sua cabeça doer. Ela não queria perder sua amiga, nunca.

Cadence esticou sua asa e abraçou Twilight no ombro.

“Eu sinto muito.” Ela disse, quando começava a explicar. “Eu deveria ter dito, então você não precisaria perguntar. Veja, alicornios são criaturas criadas pelo próprio universo. Princesa Celéstia e Princesa Luna não possuem nenhum parente. E, como você provavelmente pode imaginar, meus pais eram de diferentes espécies – meu pai era um pégasus e minha mãe uma unicórnio. É muito, muito raro uma criança herdar ambos os genes e nascer com as características de ambos os pais, mas como você pode ver, esse é o meu caso. Mas isso nunca me fez uma alicórnio. Eu sou e sempre serei mortal.”

Twilight tentava falar, mas não conseguia encontrar palavras. Era tão óbvio! Por que ela não pensou nisso? Mas tanto quanto ela estava feliz por ter o problema resolvido, havia ainda o pensamento sobre a velhice de Cadance. Tendo os seus pensamentos sobre a imortalidade da Cadance caindo por terra, ela não sabia no que pensar agora.

Cadance provavelmente viu em seus olhos sua confusão e por isso acrescentou silenciosamente. “Princesa Celestia uma vez me disse, que eu deveria estar feliz por ser mortal. E eu acho que ela está certa. Estou feliz que não vou ter que ficar neste mundo por muito tempo depois que todos os meus amigos não estiverem mais.”

Twilight sentiu lágrimas em seus olhos, e rapidamente tentou evitá-las. Toda a conversa sobre mortalidade e imortalidade estava fazendo ela querer parar o tempo.

Um alicornio – não, espere – apenas um pônei com asas e chifre, em pé ao lado dela, de repente teve sua asa fora de seu ombro e sorriu calorosamente para ela.

“Oh Twilight, não se preocupe.  Eu não vou a lugar nenhum tão cedo. E quer saber? Se eu fosse uma alicórnio de verdade, renunciaria a imortalidade sem pensar duas vezes, só para ficar com as pessoas que eu amo e também com quem  vou me casar. De que adianta viver para sempre, sem as pessoas que amamos, sem nos sentirmos verdadeiramente felizes? Aliás, essa é a verdadeira dádiva, e é isso que nos torna imortais. Agora venha, vamos ter um grande casamento!” Twilight sorriu, e desde então, sempre que pensava na imortalidade, se lembrava das palavras de Cadence, compreendendo que essa dádiva ela já possuía por ser quem ela era.